segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Aja

Não quero nunca mais nessa vida ter que não ser só sentimento.
Assim, puro. Se quero, vou. Se fui, ganhei. Se ganhei, me tome. Se tomou, me alegre. Se alegre, cante. Se canta, sambo. Se samba, pureza.
Existe necessidade de metades? Quero ser inteira. Quero dizer, agradar, beijar, abraçar, soar, suar. Ser. Assim, sem metades. Porque no final, o que te sobra é você. Só você. Não importa o que digam, o que pensam... O que importa é aí dentro, o que tem aí e só você sabe e sente.
Deixe que digam, que pensem, que falem. Quando você for metade, vai lamentar por poder ter sido inteira. E amor... Lamentar? Pra que? Essa vida ta aí inteira pra ti, te querendo, te chamando.
Se sou pele, se sou amor. Paz. Sou sim. Puro sentimento. Até tento me fazer seca, mas só de olhar, já derreto.
Derreto com meus olhos sob os seus. E sabe a melhor parte? É que estou disposta à isso e conto numa mão quem realmente quer me ver feliz, tem orgulho de quem sou sem premeditar.
Tenho orgulho do que tem dentro de mim, e por mais sozinha que esteja nessa noite, outras mil, milhões, virão me contemplar, nem que seja apenas eu, a Lua e todas as energias boas que me tomam, porque tenho a sorte de ser a luz que mais brilha, nesse lugar.
Grata e orgulhosa de quem tem coragem.
Que haja coragem! Coragem de ser quem é, passar por cima de tudo e qualquer coisa, nem que seja só por uma noite... A memória agradece.

"Eu francamente já não quero nem saber, de quem não vai porque tem medo de sofrer."

Vai! Vem! Aja.

Seja leve. Deixa... Menos, pra ser mais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário