terça-feira, 24 de abril de 2012

Controvérsias.

Cheguei a conclusão que eu sou realmente confusa e estou tão feliz que agora a confusão foi pra de baixo do tapete. Segura essa, e não larga.
Se você, que está perdendo seu tempo agora, se importar, perca mais um pouco e leia meus últimos posts.
Eu estava realmente apaixonada, e hoje? Hoje eu estou mais segura do que nunca. Hoje o meu sorriso é meu, o meu suspiro não é por você e eu quero mais é viver, porque esse negocio de paixão, decididamente, não é e nunca foi pra mim. Como eu pude? Gente.
Ela ainda é linda, e me encantará, sem dúvidas. Mas até aí, eu sou muito mais do que aparento, por detrás dessa cara de metida, nojenta, tem um coração que transborda amor e auto-suficiência. Talvez seja minha ambição mostrando as caras. E meu bem, a saudade que eu estava dela não era pouca.
Alguém que me conheça o mínimo que for, sabe o quanto eu não preciso de ninguém do meu lado pra estar completa. Preciso sim dos meus amigos e da minha família, mas mulher, mulheres andam comparecendo pra suprir minhas carências, quase imperceptíveis aos olhos de todos, todos mesmo. Um carinho e uma noite acompanhada de uma boa companhia não faz mal à ninguém, nem a mim, claro. Só não quero isso todos os dias.
Acho que tudo que eu deveria sentir por uma mulher, pensando em suprimentos psicológicos, eu gasto e uso com meus amigos. Eles são incríveis, sempre.
Voltando a citar sobre minha aparência. Ela não é das melhores, você só vai saber quem eu realmente sou quando conviver comigo e ver que eu tenho essa cara, que sou muito grossa e fria, mas aqui dentro, é tudo feito pudim.
Eu danço sem cansar, fico acordada 24, 48 ou 72 horas sem exitar, e sem pedir colo. Dou sempre aquela gargalhada no final de todas as conversas, por mais sérias que forem e por mais nervosa que a gargalhada seja, eu vejo um lado bom em tudo nessa vida, afinal amor, a felicidade bate na sua porta todos os dias, basta você saber abrir, escancarar todas as janelas, aproveitar até quando ela entra pela fechadura da porta da frente, e você não quer abrir por ser um dia frio. O calor está aí dentro, a chama é seu coração e enquanto ele bater, há de te esquentar.
Leve e fervendo. Como uma pétala de uma rosa vermelha, que por mais delicada que seja, sempre vai representar o amor, o calor.
Posso ser a melhor do mundo num dia, e no outro sumir. Não é por mal, simplesmente prefiro viver a minha vida do que tentar viver uma vida que não é minha, ou não faz parte do meu destino, já traçado.
Sou calorosa, abraço, beijo, suspiro, desejo e como já dito, sumo. Vai de você dar o valor que espero. Agora, querida, o caminho é um só, basta você querer caminhar comigo nele, até o final da história, nada é pra sempre, nem o mais belo amanhecer. Ele vem todos os dias, vai de você acordar cedo, ou não dormir para acompanha-lo.
Não durma no ponto, mais rápida que a luz, mais feroz que a Águia branca, que voa, voa e não se preocupa. O valor dado nunca é o desejado, o amor entregue nunca será por inteiro e o beijo, nesse sim vou me entregar.
Não, não é para ninguém em especifico, é para todas que pretendem me amar um dia, todos que não me conhecem. É também para aqueles que me julgam, e para os que me odeiam. Eu sei o que faz esse coração bater e preservo assim, me doando por inteira pra quem merece essa tal fresta de luz, onde deixo a felicidade me guiar.
Realizada. Talvez seja essa a palavra chave, a qual traduz.

sexta-feira, 20 de abril de 2012

"Posso ser sincero?

Não escute as pessoas negativas. Junte-se a quem enxerga a vida com bons olhos. Alie-se aos que lhe amam de verdade e que curtem seu sucesso."

segunda-feira, 16 de abril de 2012

Meu Riso.

Em silêncio eu te elogio, te admiro, te encanto. Em silêncio faço declarações de amor, declaro poesias, ouço canções. Em silêncio sinto sua alma, desejo seu corpo, sonho em te amar. Em silêncio grito seu nome, procuro seu olhar, sigo e me perto a ti procurar. Em silêncio os anos passam, orgulho-me de suas vitórias e continuo a te amar. Em silêncio te dou meus pensamentos, te ofereço meu mundo, te escondo em meu coração. Em silêncio te quero em segredo, e te espero aonde quer que for.
Ainda que o silêncio permaneça eternamente.

segunda-feira, 9 de abril de 2012

Para a tristeza.

Companheira, sei que vc vai chorar quando ler esta carta. Vai ser difícil para mim, pois me acostumei à sua presença, porém não vejo mais motivos para continuarmos juntas.
Perdi anos de minha vida ao seu lado, tristeza, acreditando que o amor não existe e o mundo não tem jeito. Vc é péssima conselheira.
Chegou a hora de dar chance à alegria, que há muito tem mostrado interesse em passar um tempo comigo.
Desde criança, abro mão de muita coisa por vc. Festas a que não fui porque vc não me deixou ir, paisagens lindas nas quais não reparei porque vc exigiu de mim total atenção.
Quero de volta meus discos de dance music, que vc tirou da prateleira. E minhas roupas estampadas, que sumiram do meu armário depois que vc se instalou aqui.
Quero ver a vida por outros olhos, que não os seus. Quero beber por outros motivos, que não afogar vc dentro de mim.

Como disse Lulu hj de manhã no carro a caminho do trabalho: Não te quero mal, apenas não te quero mais.
Fernanda Young

terça-feira, 3 de abril de 2012

Voe por todo mar, e volte aqui.


A Lua que ilumina sua rua, é a mesma em que procuro seu olhar, sinta isso e nos interligamos assim. Talvez seja essa a explicação da minha paixão pelo céu.

O presente do dia.

"Acho necessário falar do seu sorriso lindo, do seu olhar fixo cheio de vontade e a felicidade da sua essência em fazer o que gosta."


Só faltou dizer "você é incrível".

segunda-feira, 2 de abril de 2012

"Na minha memória tão congestionada e no meu coração tão cheio de marcas e poços, você ocupa um dos lugares mais bonitos"

CFA

Fonte

Linda, trás esse sorriso e vem encantar por aqui, o povo anda meio cabisbaixo.
Não, não chora. Deita nesse colo, cheio de carinho.
É felicidade? Então se deixe voar, como um Dente-de-Leão.






"No nordeste é conhecida por 'esperança': Abre as janelas e deixa a esperança entrar na tua casa, trazida pelo vento da tarde."




Crème brûlée

Um turbilhão de coisas passam na minha cabeça quando eu ouço Le Moulin. Será que é só comigo?
A pureza dos dias nublados, a indisciplinabilidade.
Um campo, vazio. Contra o vento, subo a rua em cima da minha bicicleta antiga, as correntes acompanham o som estático da minha essência.
A simplicidade da cidade pacata, os velhinhos jogando dominó em baixo das árvores, cheias de folhas secas que cantam com o vento.
As crianças, lambuzadas de sorvete de chocolate, correm em direção ao gira-gira.
A agonia dos pombos disputando uma migalha. Tristeza, solidão, alegria, compaixão.
O café amargo dança e domina minha boca, meus sabores.
Como se nada pudesse me parar, como se o tempo parasse pra me ver dançar entre os pedaços de tecido esticados do teto ao chão.
Pulando, sorrindo, me libertando.
Arrepio, lágrima, frio, tesão. Ufa.
Um misto enlouquecedor. Borboletas, são vocês .. bem vindas. Venham colorir, por aqui.
Gaivotas, plah plah plah. Batam suas asas tirando a poeira de cima do livro antigo.


Corre pequena do sorriso largo, corre e vem ver quem chegou.


Presentes, uma bola.
Um cachorro, que lindo. Pula, pula pula, brinca, morde, pula, adormece, por toda a eternidade.
A sombra da árvore, a grama úmida, ali me deito. As nuvens parecem se mexer sozinhas. É o mundo girando, manhê? Que lindo .. como ele é grande. O céu daqui, então é o mesmo céu de lá? Do outro lado do mundo?Quero conhecer todos os céus que possam cobrir minha mente.
Uns estrelados, onde o azul nem se enxerga. Uns acinzentados, cobrindo uma cidade que nunca dorme. O pôr-do-Sol me encanta, mareja meu olhar. A liberdade dos pássaros, quanta alegria poder voar por aí. Sorte a deles, conhecer todos os céus de pertinho e admirar o show de cores que a natureza nos proporciona.
Também tenho essa sorte.
Como tudo um dia chega ao fim, um dia estarei lá no céu, voando por aí, com alguns entes. Enquanto isso, firme e forte, a rua me leva, essa que comanda o mundo, que habita em todas as cidades, de terra, barro, cimento, asfalto.

"Estranho o destino dessa jovem mulher, privada dela mesma, porém, tão sensível ao charme das coisas simples da vida..."

A velha batucada.

Já não tenho molho, ritmo, nem nada e dos balangandans já não existe mais nenhum.
Mas pra cima de mim, pra que tanto veneno, e eu posso lá ficar americanizada.